terça-feira, 29 de junho de 2010

Recentemente temos vindo a fazer um esforço para aumentar o leque de consumidores do biólogico e  por isso, temos feito várias análises e experiências concretas em 3 eixos principais.

  1. Redução de energia e custos de entrega, optimizando as rotas e percursos, assim como a organização da distribuição da entrega dos cabazes, permitindo deste modo reduzir ainda mais a pegada ecológica, tanto dos consumidores/clientes como a nossa.

  2. Sendo também produtores, estamos a implementar um sistema experimental nas nossas culturas, em que através de algumas técnicas (cobertura de solos para evitar a disseminação de infestantes, rega gota-a-gota automática, trabalho em fertilização de solos em orgânico e finalmente a especial consociação de culturas para prevenção de pragas e doenças), estamos a conseguir colheitas com muito baixa manutenção, o que permite reduzir custos. Os resultados estão a ser excelentes, tanto nos meios como nos vegetais produzidos.

  3. Análises de mercado, tanto no biológico como no convencional, em que as conclusões foram surpreendentes até para nós. Existe a ideia que os vegetais e frutas biológicos são mais caros, no entanto, a nossa conclusão é exactamente contrária a esta ideia. Verificámos que de um modo geral, se tivermos em consideração os produtos normalizados (aqueles muito grandes e de aspecto luzidío, todos iguaizinhos) estão mais caros que os biológicos, sobretudo se se optar por produtos da época.
Esta análise foi feita por comparação de preços com grandes superfícies e também de frutarias de bairro Excepção feita a novas frutarias chinesas que conseguem preços mesmo muito baixos.
Esta análise tem unicamente em conta o preço, pois pela qualidade nutritritiva, de paladar e ambiental, muito mais pode ser dito (e diremos em breve).

quarta-feira, 16 de junho de 2010

APRESENTAÇÃO DO PROJECTO "RESPIGAR" E "UPCYCLING" NA FÁBRICA DO BRAÇO DE PRATA, COM VÁRIAS ACTIVIDADES.

DIA 26 Junho 2010

terça-feira, 8 de junho de 2010



Razões para consumir biológico

1 – Qualidade nutritiva, pois os produtos de agricultura biológica, têm mais vitaminas, minerais, hidratos de carbono e proteínas, ou seja, mais nutrientes em geral.

2 – Não têm qualquer tipo de aditivos, pesticidas, ou adubos sintéticos, deste modo são altamente benéficos para a saúde e muito especialmente para o equilíbrio e sanidade dos recursos Naturais. Sabe-se sobejamente também, que a ingestão de produtos químicos da agricultura está bastante relacionada com a existência de várias doenças graves actuais (e menos graves) .

3 – São fomento á Biodiversidade, equilíbrio e manutenção dos ecossistemas Naturais– A Agricultura Biológica pelas suas técnicas e filosofia, é benéfica para a diversidade, quer agrícola, quer Natural. Tem um importante contributo para o controlo do aquecimento global, por usar menos energia e prescindir de práticas e sistemas industriais nocivos.

4 – O sabor– Ao manter as caracteristicas das variedades locais, a sanidade e fertilidade dos solos e da água e também pelo modo de produção mais natural, os alimentos mantêm muito mais sabor e aroma do que os produtos provenientes da agricultura convencional.

5 – Nos produtos de origem animal são respeitados quer o equilíbrio psicológico dos mesmos, as qualidades da alimentação e sobretudo, as condições em que são criados. que se pretende sejam o mais próximo possível das condições Naturais.


6 – Fomento do desenvolvimento das zonas rurais e da sustentabilidade da economia dos mesmos, pois ao criar alternativas reais de trabalho e formas de economia local, contribui-se inevitavelmente para a fixação das populações rurais, sobretudo por ser a agricultura biológica mais exigente e absorvedora de mão de obra humana, por tentar ao máximo ser menos mecanizada.

7 – Benéfica para a água, quer pela não contaminação dos lençóis freáticos, como pelo esforço técnico de reduzir os consumos necessários ás culturas. Por outro lado e numa abordagem paralela, a própria gestão da paisagem e de cobertura e protecção natural de solos, tornam mais eficiente os sistemas de aproveitamento e retenção natural da água.

8 – Promove a Educação e Sensibilização Ambiental pela transmissão de conhecimentos, interesse e sensibilidade por parte da população, acerca dos processos naturais e do ambiente em geral, incentivando à cidadania participativa, esclarecida e consciente, que no seu dia a dia e hábitos quotidianos, estão contribuindo para a preservação e utilização sustentável dos recursos do planeta.


9 – Certificação e acompanhamento das produções– Os produtores seguem regras definidas e estabelecidas, havendo um controlo e também acompanhamento técnico, oferecendo aos consumidores uma garantia da qualidade dos produtos.

10 – Ausência de OGM, pois os organismos geneticamente modificados não são permitidos no modo de produção da agricultura biológica.















quinta-feira, 3 de junho de 2010

Contribuidores