segunda-feira, 27 de setembro de 2010

O principiante da horta-urbana

Horticultura Urbana


A horticultura urbana pode parecer uma tarefa monumental, mas pode ser um esforço bem sucedido e sobretudo bem recompensado na qualidade dos alimentos produzidos e também em alguma poupança no orçamento doméstico.

A agricultura urbana pode ser tão simples como ter um único tomateiro ou tão grande como o quintal inteiro. Alguns elementos-chave podem ajudar os iniciados como e por onde começar e como evoluem no aproveitamento de espaço para um objectivo produtivo da auto-suficiência. Esse movimento está a espalhar-se pelo mundo como um meio de economizar dinheiro e alimentar de forma mais saudável.

Horta Urbana-Que dimensão para começar?

O agricultor iniciado deve começar em pequeno, na sua própria varanda, quintal, marquise ou janelas. Aquele que tem alguma experiência de jardinagem poderá ser  mais  arrojado. A melhor maneira de começar esta empresa será em começar um planeamento. O agricultor urbano começa a planear a horta durante a época entre estações de cultura, quando o clima não é propício para adequar as condições de cultivo,  como seja, o que plantar e onde plantar dentro do ambiente urbano. O iniciado faria bem em começar com apenas três a cinco plantas da mesma espécie e na temporada seguinte adicionar  outras variedades e consequentemente, aumentando a área utilizada até que uma verdadeira horta produtiva possa ser estabelecida.

Com o aumento do conhecimento e segurança das principais técnicas e culturas de horticolas em geral, deve-se planear plantar mais variedades, assim como aumentar o número de plantas cultivadas. Mesmo com um vasto conhecimento de horticultura deve começar pequeno, porque o ambiente de horticultura urbana é geralmente diferente de outros ambientes mais adequados para a actividade. Isso não quer dizer que o cultivo de uma horta na cidade é difícil, mas tem desafios únicos, especialmente a falta de espaço.


Horta urbana- lidar com os desafios
Os desafios da horticultura urbana incluem a falta de espaço, condições de luz do sol, e a vida selvagem urbana. Vários métodos são usados para combater a falta de espaço. Estes métodos incluem crescimento vertical, utilizando canteiros, bem como o método de jardinagem em cama profunda. Muitas plantas que trepam, podem ser cultivadas verticalmente com êxito aproveitando as grades de varandas ou até estruturas simples de apoio na parede. Ervilhas, feijão, pepino, melão são exemplos de plantas a aproveitar o uso vertical para proporcionar mais espaço de terra para o plantio de outras variedades de legumes e frutas mais rasteiros.
Na verdade, as ervilhas e feijões necessitam de espaço vertical para maior desenvolvimento. Neste contexto e sendo cultivo de sementeira directa, deverá ser pensado o espaço tendo em conta estas caracteristicas. Plantas com menor crescimento são cultivadas para o sol, nas linhas da frente, e sucessivamente mais altas mais para trás num método de plantação em fileiras, para que cada planta possa receber a luz solar adequada. Isso geralmente é feito com as plantas mais altas encostadas ás paredes.


As camas levantadas podem ser uma utilização eficiente do espaço quando este é limitado para começar. Mais plantas podem ser cultivadas por metro quadrado numa cama levantada do que quando cultivadas recorrendo ao sistema de linha tradicional.
Condições de luz solar podem também ser um factor de desafio para horticultura urbana. A falta de luz solar pode levar as plantas a produzir menos quantidade, assim como afectar a sua saúde. Demasiada exposição solar pode queimar as plantas e matá-las.

Falta de luz solar pode ser compensada pela escolha das janelas ou varandas mais adequadas, ou colocando superfícies reflexivas no caso de quintais muito escondidos. Pintar uma parede ou muro em branco, por exemplo, pode melhorar as condições de luz solar adequada.


Muito sol,  pode ser compensado pela rega extra ou proporcionando sombra durante o período de luz solar mais intenso. Com postes e um lençol de algodão transparente pode fazer maravilhas para melhorar as condições para um exposição adequada ao sol. No caso de varandas ou marquises, pode ter sombra recorrendo a vasos grandes com árvores como pessegueiros, romãs, macieiras, etc, contando que percam a folha no inverno, quando será necessário optimizar a luz. Assim, além da horta passa a ter também um pomar.

A vida selvagem urbana pode ser um problema para muitos horticultores urbanos, uma vez que ao contrario do campo, o ecossistema artificial não dispõe de muitas espécies de animais selvagens que são auxiliares por consumirem insectos e auxiliarem o agricultor.
No entanto, muitos métodos existem para combater insectos e bichos que podem causar estragos num jardim de outra forma produtiva. O mais amplamente eficaz dissuasor de pragas e também mais fácil para um agricultor orgânico urbano, é um simples pulverizador de controle de pragas, com um preparado incluindo pimenta, sabão azul e branco e água. Em quintais, os métodos de barreira, como pedras ou bambu ou com fio de aves podem fazer muito para manter os roedores tais como ratos e coelhos fora do jardim. Algum espantalho criativo sobre as árvores de fruto, vinhas, e os arbustos podem controlar os danos dos pássaros de fruta.

No entanto e relativo a este ponto, existem também na cidade, de igual modo, muitas outras espécies de insectos e aves que são benéficos e normalmente designados como auxiliares, exactamente porque se alimentam ou afugentam, daqueles outros que são indesejados. Para isso também existem várias técnicas e formas de atrair estes simpáticos e altruistas ajudantes (Joaninhas, louva a deus, corujas, pequenas aves insectívoras e repteis em geral  que são grandes consumidores de insectos e ratos).


Brevemente faremos um artigo com indicação destas espécies auxiliares.

A horticultura urbana pode ser uma empreitada muito lucrativa e não só pelas colheitas mas por todo o processo como actividade em si, pois é altamente terapêutico, pedagógico e interessante. Verá quando começar a interligação dos vários fenómenos. Tudo esta ligado e em estreita relação. Compreender e superar os desafios podem dar óptimos resultados em direcção ao sucesso final. Começar pequeno é crucial para aqueles que desejam começar um jardim urbano. Como referido

 (Adaptado do texto de Elizabeth Rose 30 de Junho de 2010)

Mãos à obra e se tiver dúvidas, achar que não consegue, ou não tem tempo, mas quer muito ter na mesma, contacte-nos. Essa é a nossa missão e profissão.... 
 

domingo, 26 de setembro de 2010

O efeito da agricultura biológica nas Mudanças Climáticas

O efeito da agricultura biológica nas Mudanças Climáticas




Com o nosso modo de vida actual, pensar impedir a mudança do clima para um cenário devastador é quase impossível ou no minimo muito pouco realista.  Segundo relatos, 'Trezentas peças de cinquenta por milhão (350 ppm) é o limite recomendado de segurança para o dióxido de carbono na nossa atmosfera. Hoje, a 386 ppm, estamos bastante acima do limite. Esta é a razão pela qual até hoje, por exemplo, a já metade de Metro de Manila, uma cidade que acreditava ser impossível afundar, começaram a ficar submersos. Esta é também a razão das tempestades e intempéries (desde o excesso, escassez ou irregularidade de chuvas, calor, ventos, etc) que vêem devastando as explorações agrícolas no mundo inteiro, resultando em escassez de alimentos nalgumas regiões do planeta, avultados prejuízos, ou especulações de mercado noutros e no final, a sempre presente, quebra continua de qualidade dos produtos alimentares.

Isto no contexto da produção agricola, porque os problemas, estragos e prejuízos são muito mais vastos e transversais a muitos sectores e também factores, incluindo a crescente perda de vidas humanas (e muitas outras espécies vivas) com calamidades naturais.



 "Para evitar mais caos climático, com todas as inevitáveis perdas e possíveis mudanças drásticas anunciadas para a ordem de muitas coisas como as conhecemos, devemos implantar a tecnologia mais criativa e inovadora que esteja actualmente à disposição no planeta, para rapidamente retirar o dióxido de carbono da atmosfera.
 Se, no entanto, mudarmos o nosso estilo de vida, ainda pode haver alguma esperança. Uma maneira é através da agricultura respeitadora do ambiente. Tanto quanto possível, precisamos retirar mais carbono da atmosfera.  "A agricultura biológica poderia puxar quarenta por cento das emissões globais de nossa atmosfera a cada ano e 40% é uma grande ajuda no nosso ambiente. Os agricultores que estão construindo carbono orgânico a partir do solo (vulgo plantas) podem remover dióxido de carbono da atmosfera a taxas de 2 toneladas de CO2 por hectare."

Ao praticar uma agricultura sustentável, orgânica ou biodinâmica, podemos nutrir continuamente os nossos solos, com técnicas criativas, como rotação de culturas, cobertura de cultivo, fertilizantes orgânicos e imitar os métodos inovadores, mas suaves e regeneradores da Natureza. Ao contrário da agricultura convencional, onde empresas de produtos químicos queimam combustíveis fósseis para a produção de fertilizantes sintéticos, que por sua vez vão para o ar e consecutivamente perturbar ainda mais o nosso ambiente e clima.

" Segundo a Organic Farming poderíamos parar as alterações climáticas globais ". Os verdadeiros agricultores biológicos ajudam a construir solos verdadeiros, de estrutura natural, equilibrada e saudável. E solos bem tratados têm uma muito superior capacidade de reter mais carbono e segurar mais água. Solos naturais e saudáveis têm melhor desempenho, quer seja em situações de muito secas ou muito húmidas condições meteorológicas. Com boa terra, vamos construir uma Terra melhor, resiliente ao clima muito incerto que nos aguarda. E isso significa também alimentos mais saudáveis para o nosso mundo em crescimento ".

Ao invés de penalizados com taxas, fiscalizações e custos burocráticos acrescidos (que a agricultura "tóxica" não tem) que só encarecem o valor final dos produtos para o publico, os agricultores biológicos deveriam ser apoiados e incentivados a intensificarem as práticas culturais de fixação de carbono (incluindo nisto a gestão florestal sustentável, também de muito grande importância).

Seria melhor para nós, afim de tirar proveito da situação, enquanto o efeito ainda não se tenha instalado irreversivelmente . A mudança deve ser a nossa principal prioridade, se o que quisemos fazer seja manter o nosso futuro, conservar e conseguir um lugar melhor para os nossos filhos para viverem.  Se não, então tudo aquilo que defendemos, tudo o que nos é caro, e tudo que nós construímos e conquistámos será sentido e em grande parte perdido nos próximos anos.
 
Podemos pelo menos formar opinião, consciência e exigir que nos protejam, á nossa saúde, do nosso planeta, e o futuro das gerações vindouras.

terça-feira, 21 de setembro de 2010

Como verificar os rótulos das embalagens de produtos alimentares

Quando vai às compras, começa por ler a informação nutricional que vem escrita nos rótulos e acaba por desistir?

Nem sempre é fácil decifrar o que vem lá escrito.
Uma leitura correcta dos rótulos é, hoje, uma ferramenta indispensável aos bons hábitos alimentares. Quer-se por conseguinte, uma interpretação fácil, rápida e clara.

Então como pode decifrar um rótulo alimentar?

Comece por verificar a lista de ingredientes do produto, referidos em ordem decrescente de peso, isto é, do que está em maior quantidade para o que está em menor. Assim, se o açúcar, a gordura ou o sal forem dos primeiros da lista de ingredientes de um alimento, deve moderar o seu consumo. Atenção que o açúcar pode estar descrito como maltose, dextrose, xarope de glucose ou açúcar invertido e a gordura como óleos ou outros.De seguida deve dar importância à indicação do valor calórico do alimento, por 100 gramas ou por porção. Compare a porção que consome e a porção que é descrita na embalagem. Por exemplo, se numa embalagem de bolachas a porção se referir a uma bolacha e se comermos 3, não podemos esquecer que o valor apresentado na tabela terá que ser multiplicado por 3.

Deve verificar a gordura. Quanto menos gordura saturada e hidrogenada ou trans tiver, melhor. Privilegie produtos isentos deste tipo de gordura.

Verifique também a quantidade de hidratos de carbono. Prefira alimentos ricos em amido e pobres em açúcar, como é exemplo o pão, e assim ficará saciado durante mais tempo.

Outro aspecto importante, na leitura dos rótulos, é a indicação das percentagens. O que é que isso significa? É a percentagem que cada nutriente atinge da sua dose diária recomendada. Por exemplo, um determinado produto alimentar apresenta na sua rotulagem 20% de vitamina E, ou seja, ao consumirmos uma porção daquele alimento é fornecido 20% das necessidades médias diárias desta vitamina. Portanto, deve comer mais alimentos ricos em vitamina E ao longo do dia, para que possa atingir 100 % das necessidades diárias desta vitamina.

Agora, falemos de prazos de validade. Podem apresentar-se sob 2 formas: “Consumir até”, utilizado quando os alimentos se deterioram rapidamente (exemplos: carne, ovos e lacticínios). Todos os produtos frescos embalados têm um período de validade curto e não devem ser consumidos após a data indicada na embalagem, pois existe o perigo de intoxicação alimentar. Por exemplo: um queijo fresco é um alimento perecível, devido ao seu alto teor em água é propício ao desenvolvimento de bactérias prejudiciais para a saúde; “Consumir de preferência antes de”, utilizado em alimentos que possuem uma durabilidade maior (por exemplo, cereais, arroz, especiarias). Não é perigoso consumir um produto após esta data, mas o alimento pode ter começado a perder o seu sabor e a sua textura.

À semelhança do que se faz quando comparamos os preços de produtos semelhantes, opte também por comparar os diversos constituintes entre si. Gaste alguns minutos e analise a rotulagem e não se deixe seduzir por embalagens coloridas, sem antes fazer uma correcta análise do produto. Por exemplo, existem cereais de pequeno-almoço cujas embalagens são muito apelativas ao consumidor mas, ao analisar o seu rótulo, constata-se que o segundo, ou terceiro, ingrediente mais presente naquele produto alimentar é o açúcar.

Apraz referir que não existem géneros alimentícios bons nem maus. Devem ser consumidos de acordo com a quantidade adequada e de acordo com a sua finalidade. Nunca se esqueça que a sua alimentação deve ser completa e equilibrada, alicerçada em variedade.

Extraido de Stop cancer Portugal
http://www.stopcancerportugal.com/2010/09/20/decifrando-as-embalagens/

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Alimentação saudável no trabalho

Muitos países estão apostando suas políticas em alimentação saudável para melhorar o nível de vida de sua população. Especialmente as nações em desenvolvimento, que estão em busca de estratégias preventivas para evitar as epidemias de obesidade, diabetes e doenças crônicas que já pesam na produtividade e redução de vida nos Estados Unidos.
A alimentação saudável pode devolver as taxas de diabetes tipo 2 de volta ao seu nível histórico de cerca de 0% em países como os EUA, com nível atual de 8%, e México, onde 12% da população tem diabetes, até agora a principal causa de morte no país.

Porém, para a maioria dos adultos, o café da manhã é uma mancha na memória, o trabalho, uma prisão desprovida de escolhas alimentares saudáveis, e o jantar uma correria. Então, quando e onde eles podem comer as recomendadas cinco porções ou mais de frutas e vegetais por dia?
A chave é justamente os almoços saudáveis no trabalho. Em quase todos os países, muitos trabalhadores enfrentam o mesmo problema: falta de acesso a alimentos decentes no trabalho. Se há uma lanchonete, normalmente ela não serve comida saudável, ou é cara, ou os dois. A maioria dos restaurantes próximos ao trabalho é tipicamente da variedade “fast-food”.

É por isso que nutricionistas da Universidade de Antioquia têm instituído diversos programas de alimentação aos trabalhadores em cidades com mais de três milhões de habitantes.

Um destaque é o café em uma fábrica de montagem da Renault, no qual são servidos aos trabalhadores uma oferta equilibrada de arroz, feijão, sopas, carnes e seleções amplas de vegetais crus e cozidos.

Segundo os pesquisadores, a Renault observou uma melhora quase instantânea nos perfis de saúde dos trabalhadores em termos de peso, colesterol e outras medidas metabólicas.

A solução proposta pela Renault é interessante. Da mesma forma, na Europa, onde o espaço é limitado e lanchonetes podem ser raras, os empregadores muitas vezes oferecem vales refeição para que os trabalhadores possam ir a um restaurante local e comer uma refeição balanceada que corresponde ao valor do vale.

Em Singapura, onde empresas de pequeno porte abundam – pequenas demais para oferecer um refeitório para os trabalhadores – os empregadores constroem uma cozinha para permitir que seus empregados cozinhem ou aqueçam alimentos de casa. Na China e em partes da África, empresas com poucos recursos muitas vezes tem um cozinheiro que prepara uma refeição saudável simples aos trabalhadores.

Estes são exemplos de empresas, se não nações, que compreendem as implicações a curto prazo (intoxicações alimentares) e a longo prazo (obesidade, diabetes, doenças cardíacas e câncer) de uma alimentação não saudável. A boa comida torna-se um investimento em saúde, segurança e produtividade, ou então, no futuro, todo o país pagará muito mais caro.

Nunca é tarde demais para comer melhor, no entanto. O próprio México aprovou em abril uma lei que oferece incentivos fiscais para empregadores que oferecem aos seus trabalhadores melhor acesso a alimentos saudáveis.

Segundo os pesquisadores, quando a maioria de nós passa metade do dia no local de trabalho e faz uma ou duas refeições lá, é essencial que os países e empresas se conscientizem da importância das políticas de alimentação saudável.

[LiveScience]

( Extraido de hype science por Natasha Romanzoti)

domingo, 12 de setembro de 2010

Louva-a-Deus como auxiliar na horta


Louva a Deus - Amigo ou inimigo?


por Arzeena Hamir

Enquanto a fêmea pode, efectivamente, se alimentar do seu companheiro durante o acasalamento,  o louva-deus também tem outras características surpreendentes. É o único predador que é rápido o suficiente para capturar os mosquitos e moscas. É também o único insecto que pode virar a cabeça a toda a volta (180 graus).

Têm apetite voraz e comem uma variedade de insetos, inclusive pulgões, gafanhotos, moscas domésticas, traças e grilos. No entanto, além desses insectos, o louva-deus come também insetos benéficos como grupos de moscas e crisopídeos. Se você é um agricultor que tem a ajuda do louva a deus para controle de pragas, mantenha isso em mente.

A criação e introdução de louva a deus para a horta

A maioria dos louva-deus são vendidos em caixas de ovos, cada postura de ovos chocarão entre 5-20 ninfas jovens. Para melhor controle de pragas, uso de 3 para um jardim com 5.000 metros quadrados Recomendamos que você use o seu ovo imediatamente embora possam ser guardada na frigorifico por até uma semana após a sua recepção. Você pode pendurar o casulo do ovo fora e permitir as ninfas jovens escapar, ou pode montar um terrário.

Cuidados interior do Praying Mantis

Crie um terrário num tanque com peixes, aquário , o recipiente de iogurte, ou até mesmo um frasco. Independentemente do tipo de recipiente utilizado, uma vara ou ramo devem ser fornecidos para os insetos se pendurarem, assim como um pequeno prato de água no fundo para acrescentar humidade ao ambiente. Coloque e malha sobre a parte superior do recipiente para impedir os jovens de escapar, e também permitir que o ar e alimentos possa ser colocado dentro A temperatura deve ser mantida em cerca de 25-28 C .
Manter o recipiente protegido da luz solar direta e manter um ambiente húmido por nebulização todos os dias.

Alimentação Louva a Deus
As ninfas jovens vão eclodir para fora de seu casulo de ovos em aproximadamente 3 semanas. À medida que crescem mais, deve movê-las em um recipiente maior para que eles tenham espaço suficiente para alimentar e mover-se. Após a incubação, a mantis deve ter alimento vivo a cada 2-3 dias. Se não, eles devoram uns aos outros.

Insetos vivos, como moscas, pulgões, baratas, grilos, besouros, gafanhotos, aranhas, lagartas, mariposas, moscas domésticas e é um alimento favorito do mantis. Os menores e de corpo mais macio, são uma fonte de alimentação melhor para as ninfas jovens . Depois de ter concluído os seus estágios iniciais, eles podem ser alimentados com insectos maiores que os pulgões e moscas do vinagre, como mosquitos, moscas e baratas.

Se não forem libertados, cada adulto terá que ter a sua própria gaiola. Um mantis pode ser mantido como um animal de estimação e alimentados durante todo o ano.



sábado, 11 de setembro de 2010

HORTAS URBANAS EM VARANDAS, MARQUISES, QUINTAIS

Young Urban Farmers




Christopher Wong, Nancy Huynh e Jing Loh são três recém-licenciados da Universidade de Queens que, no início de 2009, investiram quatro mil euros num negócio próprio.

Esta história seria igual a tantas outras, não fosse o mercado em que a Young Urban Farmers, a sua empresa, actua: as hortas urbanas.

O projecto é simples e foi explicado recentemente no The Globe and Mail: tendo como pano de fundo a cada vez maior apetência das pessoas em aliarem as suas práticas sustentáveis aos hábitos culinários, os três sócios propõe transformar os jardins, terraços, sótãos ou espaços perdidas das casas em pequenas hortas.

A Young Urban Farmers actua em Toronto e entrega aos seus clientes caixas de madeira pré-fabricadas com 1,2 metros quadrados de tamanho (como na foto), que são verdadeiras mini-hortas urbanas.

A caixa consegue plantar uma variada combinação de frutas e vegetais… as que o cliente quiser, na verdade.

O serviço completo da Young Urban Farmers custa 550 euros por estação de cultivo e inclui a caixa de madeira e todo o trabalho do dia-a-dia ou semana. Uma versão low cost, que inclui apenas a instalação inicial da caixa, desce o preço para os 230 euros.

“Reparámos que havia uma tendência no consumo e plantação de comida local e redução da pegada carbónica. Pensámos que o mercado estava mal servido [na área das hortas urbanas] e que as pessoas queriam iniciar projectos destes mas não sabiam por onde começar”, explicou Wong ao The Globe and Mail.

Depois de acções de marketing porta-a-porta e via redes sociais, sobretudo Facebook, a Young Urban Farmers começou a ganhar uma projecção local que a levou a conquistar cada vez mais clientes. E chegou aos jornais (e agora ao Green Savers).

No primeiro ano a empresa, com 25 clientes, atingiu o break even. No segundo ano o objectivo é chegar aos lucros – algo provável, uma vez que os clientes são hoje o dobro de no mesmo período de 2009.


Jornal "The Global"

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

Curso Bio-hortas em varandas

Uma nova edição do curso:
Bio-hortas em varandas, marquises e quintais urbanos

18 de setembro na fábrica do Braço-de-Prata


Viver em apartamento na cidade já não é impedimento para ter uma horta Biológica.

Num workshop de 1 dia, poderá aprender na prática como fazer compostagem, semear, plantar e cuidar de plantas hortícolas, em espaços pequenos, para produção e como forma de decoração, para produzir os seus próprios legumes e verduras saudáveis, tipos de recipientes e suportes, plantas, sementes, tratamentos naturais, etc.

Valor: 50 Euros
Inclui:
  • Manual PDF de agricultura biológica
  • Catálogo de estruturas possiveis de usar
  • Sessão de sete horas com teórico7prática
  • 2 meses seguintes ao curso de apoio técnico  
  • Certificado credênciado

A realização está condicionada a um número mínimo de 10 inscrições.

Melhore a sua vida, produzindo o seu próprio alimento, reduzindo as despesas, o stress e melhorando a qualidade da alimentação

 Biosite.Com - Cooperativa para a Cidadania, a Sustentabilidade e a Agricultura Biológica
Rua D. Pedro V, nº 3, 1250-092 Lisboa
http://biosite-com.blogspot.com/
biosite.cabazes@gmail.com

Telefones:933031962 (Maria Sousa)
               937852418 (Tito Lopes)

Vamos reduzir o desperdicio - Mercado de venda e troca de usados

RESPIGAR (Dar novo uso ao que já não tem uso)


18 Setembro 2010

Venha “Respigar” Na Tenda de Circo da fábrica do Braço de Prata
Projecto “Respigar”

Respigar, tal como é descrito no dicionário, significa apanhar os restos após a colheita de cultivo. Algo que ficou para trás e que alguém não quis mais, mas pode ser ainda aproveitado, recuperado ou transformado e ganhar um novo significado.

Mas existem ainda respigadores, quer no meio rural quer no meio urbano que o fazem por necessidade, prazer..., hábito cultural (transmitido de geração em geração), gestão económica ou por preocupação ética e ambiental.

Todos os ultimos sábados de cada mês (este mês excepcionalmente no dia 18)

O acto de procurar, reutilizar e transformar os materiais em fim de vida

Dar um novo significado às coisas

Das 16.00 às 21.00h

Móveis, brinquedos, livros, arte, artesanato, etc. O que achar que está a ocupar espaço lá em casa, para doar, trocar ou vender!

Paralelamente serão realizados vários pequenos workshops, apresentação de espectáculos para crianças ou palestras, em cada uma das edições.

WORKSHOPS (Pagos simbolicamente):
• Apresentação dos Cabazes bio!

• Curso Bio-hortas em varandas (a acontecer em paralelo)

• Reciclagem de papel

• Construção de instrumentos musicais em reciclagem

• Costura em reciclagem (patchwork, bolsas de tetra pack, etc)


Informações e inscrições para as workshops e curso ou lugar para expor:

Biosite.Com - Cooperativa para a Cidadania, a Sustentabilidade e a Agricultura Biológica
Rua D. Pedro V, nº 3, 1250-092 Lisboa
http://biosite-com.blogspot.com/
biosite.cabazes@gmail.com

Telefones:933031962 (Maria Sousa)
               937852418 (Tito Lopes)

sábado, 4 de setembro de 2010

PROPRIEDADES DE FRUTOS

CITRINOS (Citrus spp.)
Os Citrinos são árvores folhosas, de folha persistente.
FAMÍLIA: Rutaceae
GÉNERO: Citrus
ORIGEM: Ásia
PROPRIEDADES: Por ter muita vitamina C, os citrinos tornam o organismo mais resistente às infecções e dão saúde às gengivas. Possui propriedades cicatrizantes, auxilia o organismo a absorver o ferro de outros alimentos, a combater stress e alergias, a diminuir as taxas de colesterol e o risco de alguns tipos de cancro.




PESSEGUEIRO (Prunus pérsica)
Os Pessegueiros são árvores folhosas, de folha caduca.
FAMÍLIA: Rosaceae
GÉNERO: Prunus
ORIGEM: China
PROPRIEDADES: Contem grande quantidade de vitamina A, que nos frutos, é útil para a protecção da vista, pele e auxiliar no crescimento. Rico em niacina, que é uma vitamina que actua na digestão, além de estimular o apetite.



AMEIXEIRAS (Prunus domestica)
As Ameixeiras são árvores folhosas, de folha caduca.
FAMÍLIA: Rosaceae
GÉNERO: Prunus
ORIGEM: Ásia menor.
PROPRIEDADES: As ameixas têm muito potássio e fósforo. Podem ser usadas em todas as dietas de doenças do aparelho circulatório, rins e fígado, na gota e no reumatismo.


NESPEREIRA (Eriobotrya japónica)
As Nespereiras são árvores folhosas, de folha persistente.
FAMÍLIA: Rosaceae
GÉNERO: Eriobotrya
ORIGEM: China
PROPRIEDADES: A Nêspera tem alto teor de açúcar, acidez e pectina. Em calda, são usados na medicina tradicional chinesa como expectorante para a garganta. São úteis na limpeza dos rins e problemas no intestino. Auxiliam na cura de inflamações internas do organismo.





DIOSPIREIRO (Diospyrus kaki)
Os Diospireiros são árvores folhosas, de folha caduca.
FAMÍLIA: Ebenaceae
GÉNERO: Diospyrus
ORIGEM: China.
PROPRIEDADES: Tem poucas calorias e possui vitaminas A, B1, B2 e E, além de cálcio, ferro e proteínas. O Dióspiro auxilia no funcionamento intestinal devido ao tipo de fibras. É rico em betacaroteno, com acção sobre os dentes, pele, olhos, unhas, cabelos e na defesa do organismo.



FIGUEIRA (Ficus carica)
As Figueiras são árvores folhosas, de folha caduca.
FAMÍLIA: Moraceae
GÉNERO: Ficus
ORIGEM: Região Mediterrânica
PROPRIEDADES: O figo é útil na protecção e rejuvenescimento do organismo, para prisões de ventre, limpeza dos rins e na digestão. Também é indicado para pessoas com problemas dos brônquios, gripes e constipações. Na medicina caseira é usado para expulsar parasitas dos intestinos em crianças.






AVELEIRA (Corylus avellana)
As Aveleiras são árvores folhosas, de folha caduca.
FAMÍLIA: Betulaceae
GÉNERO: Corylus
ORIGEM: Europa, Ásia Menor e América do Norte.
PROPRIEDADES: As avelãs têm muita vitamina E. Útil como antioxidante, prevenção de doenças cardíacas e cancro nas veias e artérias, e também para reduzir o colesterol. As avelãs podem equilibrar a pressão sanguínea e são boas para o desenvolvimento dos ossos.



ABACATE (Persea americana)
Os Abacateiros são árvores folhosas, de folha persistente.
FAMÍLIA: Laureaceas
GÉNERO: Persea
ORIGEM: América do Sul.
PROPRIEDADES: Com varias características para a aplicação cosmética. É rica em açúcares e vitaminas, sendo das frutas que tem mais proteínas. É muito apreciado em saladas ou para confecção de molhos.




OLIVEIRA (Olea europaea)
As Oliveiras são árvores folhosas, de folha persistente.
FAMÍLIA: Oleaceae
GÉNERO: Olea
ORIGEM: Região mediterrânica.
PROPRIEDADES: O óleo era usado como para hidratação do corpo e cabelo, combustível e alimentação. A azeitona possui um óleo que é rico em ácidos gordos saudáveis, excelente para aumentar o bom colesterol. Também possui vitaminas: A, C, B1 e B2 e também sais minerais: fósforo, potássio, sódio e silício.




PEREIRAS (Pyrus communis)
As Pereiras são árvores folhosas, de folha caduca.
FAMÍLIA: Rosacea
GÉNERO: Pyrus
ORIGEM: Sul da Europa e médio Oriente.
VARIEDADES: Pera Água; Sela Linda; Beurre Hardy; Rocha.
PROPRIEDADES: A pêra tem grandes quantidades de vitaminas B1, B2 e B3, que regulam o sistema nervoso, o aparelho digestivo e fortifica o coração. É ideal para dietas, devido ao baixo valor calórico. Também útil em tratamentos do coração e na formação dos ossos, dentes e sangue. Ajudam no equilíbrio interno e vigor do sistema nervoso.



ROMÃZEIRA (Púnica granatum)
As Romãzeiras são árvores folhosas, de folha caduca.
FAMÍLIA: Lythraceae
GÉNERO: Punica
ORIGEM: Oriente central.
PROPRIEDADES: A romã tem uma alta concentração de anti-oxidantes, sendo uma das frutas mais nutritivas. Contém cálcio, potássio e ferro, que ajudam a proteger o corpo contra doenças cardíacas, diabetes, artrite reumatóide e cancro. A romã também retarda o processo de envelhecimento e ajuda a eliminar as gorduras na digestão.



AMENDOEIRA (Prunus dulcis)
As Amendoeiras são árvores folhosas, de folha caduca.
FAMÍLIA: Rosaceae
GÉNERO: Prunus
ORIGEM: Originária do médio Oriente.
PROPRIEDADES: É muito utilizada na indústria de cosméticos. É benéfica contra a acidez ou úlcera do estômago. Também indicada na diarreia das crianças, na bronquite, na pneumonia, nas inflamações das vias urinárias, nos cálculos renais e da vesícula.



MACIEIRAS (Malus domestica)
As Macieiras são árvores folhosas, de folha caduca.
FAMÍLIA: Rosacea
GÉNERO: Malus
ORIGEM: Europa e Médio Oriente.
PROPRIEDADES: O consumo regular de maçã é excelente para se prevenir e manter a taxa de colesterol em níveis aceitáveis, recomendada de uma por dia. Esse efeito é devido ao alto teor de pectina, encontrada na casca.




ALFARROBEIRA (Ceratonia siliqua)
As Alfarrobeiras são árvores folhosas, de folha persistente.
FAMÍLIA: Fabaceae
GÉNERO: Ceratonia
ORIGEM: Região mediterrânica.
PROPRIEDADES: Do fruto da alfarrobeira tudo pode ser aproveitado, Da semente extrai-se a goma, para aditivo alimentar, farmacêutica, têxtil e cosmética. A vagem é utilizada em varias preparações culinárias e também na alimentação animal pelo seu muito agradável sabor, semelhante ao cacau, além das altas qualidades nutritivas





NOGUEIRA (Juglans regia)
As Nogueiras são árvores folhosas, de folha caduca.
FAMÍLIA: Fagales
GÉNERO: Juglans
ORIGEM: Europa e Ásia.
PROPRIEDADES: Muito tónicos, rico em taninos e altamente ricos em nutrientes, os frutos são especialmente apreciados e úteis quer pelo valor medicinal quer como alimento. A casca verde pode ser utilizada para tingir tecidos e os cabelos.




MARMELEIRO (Cydonia oblonga)
Os Marmeleiros são árvores folhosas, de folha caduca.
FAMÍLIA: Rosaceae
GÉNERO: Cydonia
ORIGEM: Ásia.
PROPRIEDADES: É uma árvore melífera. Muito apreciada para utilização no preparo de doces e compotas pelas grandes quantidades de pectina. Ácido e adstringente, é muito eficaz no tratamento de afecções dos intestinos e estômago.



CEREJEIRAS (Prunus avium)
As Cerejeiras são árvores folhosas, de folha caduca.
FAMÍLIA: Rosaceae
GÉNERO: Prunus
ORIGEM: Ásia.
VARIEDADES: Burlate; Super burlate.
PROPRIEDADES: As cerejas contem proteína, cálcio e ferro e vitaminas A, B e C. Ao natural, tem propriedades refrescantes, para limpeza dos rins e prisão de ventre. Deve ser evitado o consumo em excesso. O cultivo deve ser em regiões frias, pois necessitam de exposição ao frio para que possam produzir.




Autoria: Tito Lopes (Biosite.Com)


Contribuidores